domingo, 4 de abril de 2010

Anti-Herói - Valete

Saudações a todos e todas!

Dessa vez o Ritmo e Poesia em Forma de Protesto vai além das fronteiras do Brasil e emerge no cenário não tão muito e nem tão pouco conservador da Península Ibérica, mas precisamente Portugal!

Hoje, usaremos como base para reflexão a música Anti-Herói do rapper português Valete. Valete nasceu em 1981, mas ingressa no cenário do hip hop em 1995. Hoje Valete tem dois cds gravados (Educação Visual e Serviço Público, sendo esse o segundo) e já projeta um terceiro.

Não diferente de muitos rappers, Valete começa através das rimas e vai ganhando maturidade política e musical, intensificando suas críticas e aperfeiçoando seu discurso político-musical no melhor estilo marginal, se sujeitando somente as suas vontades, ou seja, ele canta apenas o que quer, logo aquilo que precisa ser denunciado.

Entendo pouco sobre a diferença do rap underground para o gangster, mas sei que classifico as obras de Valete no maior grau de ousadia e de contudência possível, ele não se priva de falar aquilo que acredita ser necessário, ele sem dúvida é uma figura muito importante no cenário do Hip Hop Lusófono.

Toda forma de protesto é um desabafo, e nessa jóia rara do Rap Valete sintetiza muito bem os seus versos de protestos, ele é o próprio filho da revolução que ainda não acabou, influenciado por diversos guerreiros de diveros lugares que no fim lutavam pelas mesmas coisas, o direito de poder ser feliz, tendo as mesmas condições e sem ser oprimido.

"Eu cresci trancado num quarto com livros de Marx e Pepetela / Alimentado com parágrafos de Nélson Mandela / Foi esta a fonte do ódio que agora já não escondo / Este é o som que eu inalei na voz de Zeca Afonso / Ninguém me separa deste Guevara que eu tenho em mim / E podes ver na minha cara a raiva de Lenin / Eu choro este sangue que devora o espírito e choca os mais sensíveis, e torna-me num monstro como Estalin"
Valete é o Anti-Herói, acima de tudo resiliente, mas resiliente do quê? Da fome? Da guerra? Do crime? Da desigualdade? Não, resiliente do Capitalismo que direta ou indiretamente gera tudo isso. Ele é um que deixa de ser mais um para ser um a mais, e através dos seus versos tenta promover a mudança.

"Valete a.k.a Ciclone Underground, nigga o filho do bastardo da vossa opressão, nigga / Eu tenho nos meus olhos a cor da insurreição, nigga / Sou como Malcom-x com o microfone na mão / Eu desenterro vítimas de genocídio capitalista e levo mais comigo pra rebelião / Eu sou o primeiro a marchar pra esta revolução / Tu és o primeiro a vazar na hora da intervenção / Eu vim para ressuscitar Lumumba, Ghandi e Arafat e os nossos homens de combate através desta canção / Pai, eu tatuei no meu peito a Tua imagem pra respirar através dela a tua batalha e a tua coragem"

Com base em exemplos do passado, ainda vivos no presente, seu protesto ganha forças quando se utililiza das lutas que ocorreram em todo mundo, ser oprimido pelo capitalismo não é previlégio de alguns, é uma realidade de todos.

"Na Palestina, no Cambodja, Vietnã, Angola, no Iraque, na Somália, Afeganistão e Bósnia / Esse é o grito desse mundo que chora e implora pela justiça dos homens porque já viram que Deus não acorda / Vítimas de quem fez de todo o mundo seu património da hipocrisia assassina do FMI e da ONU / É o povo anónimo cobaia do liberalismo económico que sai das amarras eufórico para combater o demônio / Eu sou aquele que vocês chamaram de fundamentalista quando eu disse que era um trotskista belicista / Posicionei-me assim contra a América imperialista aqui está o vosso kamikaze terrorista / Farto de vos ver sentados, manipulados por uma televisão que vos deixa impávidos e formatados / Asnáticos inconformados, fechados e enganados otários e atrasados, inválidos e atordoados"

Realmente só se pode fazer isso uma vez como ele cita no começo da música e ele faz muito bem feito, a música é de uma perfeição imensurável, cruel aos ouvidos dos conservadores e um vasto campo de luz aos olhos dos incorfomados, é um tiro no escuro que não erra o alvo, é um grito que ecoado desperta e convoca mais soldados para a guerra.

Segue o link para a música e video clipe, realmente algo que deve ser visto e apreciado.

4 comentários:

  1. Raquel Figueiras - Portugal30 de julho de 2010 09:40

    Tenho pena de não ter descoberto o teu blog à mais tempo. Posso dizer que é o melhor blog que já li. As tuas reflexões acerca das músicas são muito oportunas e o teu gosto musical é excelente.
    De facto "Ani-Herói" é a melhor música que já ouvi na minha vida. Já a ouvi milhões de vezes, e não me canso. Valete é um grande rapper, um orgulho para o hip hop tuga.

    ResponderExcluir
  2. De tempos em tempos eu tenho que te caçar de volta! rsrs

    Tudo bem por aí?

    ResponderExcluir
  3. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderExcluir
  4. Blog é cultura! Não conhecia mas adorei ;)

    ResponderExcluir